RSS

24 de dez de 2011

Nada mais que natal

E hoje é natal, e o que restou? nada.

Sempre pensei em como o natal era uma época feliz, para se comemorar em família com presentes e demonstrações de afeto.
Agora eu cresci, e o que vejo? vejo um natal frio, mas não com a frieza da neve, afinal eu moro em um país tropical.

Agora vejo que o natal é um dia triste, o dia mais nostálgico do ano, podemos dizer assim.
Ontem, dia 23 de Dezembro, andando pela cidade vejo o efeito criado pelo famoso "espírito natalino", pessoas que eu nem conhecia me cumprimentavam desejando um feliz natal, na fila do caixa de supermercado uma senhora comentava comigo como era difícil ter que enfrentar uma fila enorme para comprar só um pote de café, no horário de almoço o restaurante lotado, temos que nos sentar com algum estranho, diferente de todos os outros 365 dias do ano, dessa vez "o estranho" puxou assunto, sobre a vida, sobre natal.

Fico a pensar como o mundo seria bem melhor se esse "espírito natalino" fosse cotidiano. Assim as pessoas se ajudariam mais, sentiríamos mais segurança no meio em que vivemos, pois não estaríamos cercados de estranhos.
Mas isso é impossível claro.

Agora me deparo com o natal passado, não o último natal, mas o natal do meu passado.
Nostalgia, das histórias absurdas contadas por nossos familiares em que insistíamos em acreditar, o cheiro da ceia que invadia nossos quartos dizendo que já estava na hora de se aprontar, as roupas exageradas para simplesmente ficarmos dentro de casa e recebermos os familiares, os presentes que sempre nos esperavam no pé da árvore de natal na manhã do dia 25.
Árvore de natal que aliás foi montada por mim, árvore de dois metros que geralmente ocupava um dia inteiro do meu dezembro e outro dia inteiro do meu janeiro.

Agora? estou no meu quarto bagunçado como sempre, com minha perna enfaixada, olhando para a tela do computador, sentindo o cheiro de ceia de natal que vem da casa dos vizinhos, e sabe de uma coisa?
Ainda assim é uma data muito especial.

Pelas lembranças. Por saber que tenho hoje a noite uma festa de família para ir, mesmo que não seja das melhores festas, não seja das melhores famílias, é a minha, e por isso se torna a melhor pra mim.

Por esse ar de natal que invade toda a cidade, e esse sentimento não é determinado por religião, nem pelas pessoas, eu não sei o que determina esse sentimento, e é isso que o torna tão especial, o mistério.
E sim, eu estava errada em tentar esquecer deste sentimento, esquecer do passado que ele abrigava, esquecer do que te faz feliz nunca é bom, e é impossível de ignorar o natal, como se fosse só mais um dia, agora eu sei que é, sei que aquele filme clichê de sessão da tarde estava certo, porque mesmo que tal coisa seja irracional para você, se te faz feliz não pode ser ignorado.
Agora não acredito em metade do que acreditava, nem sei no que acredito, só sei que esse sentimento de que há algo em especial nesse dia é real.

Clichê? Sim, e muito.

Para finalizar desejo um feliz natal a todos, por que natal não escolhe se você é religioso ou não, preto ou branco, cruzeirence ou atleticano, rico ou pobre, do bem ou do mal, ou é só um internauta perdendo parte de seu dia lendo isso.


2 comentários:

Anônimo disse...

First Comment!!!!(tenho que parar com essa mania, parece aqueles orkuteiros gritando first page!!)
Ei mila adorei o post, é clichê pra c***** mais mesmo num clichê você ainda consegue inovar, e fazer um post incirvel desse, parabens, "Agora me deparo com o natal passado, não o último natal, mas o natal do meu passado." os mayas discordam dessa parte,continue assim, e poste mais veses, se não eu morroooooooooo
beijos, de você sabe quem

Anônimo disse...

ameei mila!!to doida pra falar com vc pra saber sobre oq vc fez dessa vez pra ferrar com a sua perna.mas de qualquer jeito...muita saudade de vc miga :)

bjs, Luiza

Postar um comentário

 
Copyright Blog da Mila 2009. Powered by Blogger.Designed by Ezwpthemes .
Converted To Blogger Template by Anshul .