RSS

15 de nov de 2011

Quatro letras e dois corações

Sempre tento fugir dos clichês, mas afinal o que torna algo clichê? O fato de ser repetitivo, ou de ser constantemente usado.


Por pedidos de leitores, por vontade própria, por falta de inspiração, por já ser quase de madrugada e não conseguir dormir irei hoje falar de um dos assuntos mais perturbadores que assombram a humanidade, o assunto mais deslumbrante, usado tantas e repetitivas vezes por autores de livros, músicas, poemas, contos e simplesmente palavra ao vento.
Tal assunto vem se tornado clichê, ridículo para a juventude moderna, constrangedor, fictício como um jogo.
Mas afinal é um jogo, um jogo aonde não há perdedores e ganhadores, no final ou os dois perdem, ou os dois ganham.
Já conseguiu perceber do que estou falando?

Estou falando da palavra de quatro letras, duas sílabas, um milhão de sentidos, e apenas dois corações.
Palavra que nem os mais sábios cientistas e poetas conseguiram desvendar, no Aurélio seu significado é insignificante perto de tamanha grandeza e mistério.

Estou falando do, do... amor.

Afinal o que mais seria?


Nos dias de hoje é quase impossível falar disso sem ser "zoado", sem sair constrangido ou arrependido.
Nos dias de hoje as canções evitam falar disso explicitamente, os autores tem medo de se expor.
Como diria meu grande ídolo e inspiração Renato Russo: "Como é que se diz eu te amo nos dias hoje em dia? Eu pensei que era: vamo fica um pouquinho gatinha."


Sabias palavras de um sábio homem, que não tinha preconceitos, não tinha medo de amar a ninguém, abriu seu coração a amar ambos os sexos, sem seleção por nada.
Claro que sempre haverá seleção, gostos, é mais do que natural do ser humano, de todos os animais.

A espera nos dias de hoje pela perfeição é muito continua, você leitor que está lendo minhas palavras nesse momento deve estar dizendo: eu não espero pela perfeição, quem espera é burro.

Mas eu te digo, espera sim, todos nós esperamos.
Culpa de hollywood? não totalmente.


Desde que somos crianças esperamos um dia nos apaixonarmos por alguém, e quando ver essa pessoa faíscas sairão, a chuva se cessará, nascerão borboletas em seu estômago, suas pernas irão bambear e seus pensamentos serão somente dedicados a tal pessoa.

Mas ai acontece, e nos decepcionamos, não é como imaginávamos, as faíscas incendiarão o local, a chuva molhará sua face a ponto de não conseguir distinguir suas lágrimas, as borboletas te darão enjoo, as pernas bambeando te farão cair, e não terá nem mais seus próprios pensamentos como refúgio.


Passa o tempo você começa a se acostumar com a presença de tal indivíduo, é normal demais para você, as faíscas só saem as vezes, quando a eletricidade é maior, a chuva só virá as vezes, quando a presença de tal pessoa é ameaçada, as borboletas morrerão, suas pernas aprenderão a andar firmes, como as de um bebê que finalmente aprendeu a andar sozinho, e seus pensamentos serão mais sensatos.

Mas pelo incrível que pareça, esses são os sinais de que seu amor amadureceu, deixou de ser adolescente e passou para uma nova fase. E mesmo que pareça que não nesse estágio o amor só é mais forte e concreto.

Todos nós passamos anos procurando pelo romance, todos nós precisamos do romance, aquele romance criado e fantasiado pelas impressas cinematográficas que tratam tudo como motivo para vender filmes.
Mas fazer o que? esses pensamentos já tomaram conta de nossa cabeça, agora virou necessidade, precisamos de romance, palavras bonitas, mesmo que não sejam reais, torne-as realmente ditas, ao virar vento viraram realidade, pois vento é real, você consegue senti-lo bater em sua face, em seus cabelos, mesmo que eles não sintam.


Olhares, troca de olhares não mordem, não tenha medo de olhar, de se expor, normalmente diria que se expor é ruim, que te torna vulnerável, mas o que melhor a ser vulnerável ao sentimento? O sentimento gera a arte, beleza que encanta gerações e gerações. Muda a forma de ser, mas continua a encantar.

Nem todo amor é forte, há vários estágios, várias formas de amar, nem todo amor é paixão, há o amor de irmão, de amigo, de mãe, de companheiro, alguns até imperceptíveis, que só se percebe que era amor quando se perde o amado(a).


E com nossas palavras tortas, amedrontadas, nós nos expressamos de diversas formas, formas as vezes não românticas, mas são formas, formas que precisam de maior interpretação, maior atenção, mas continuam sendo formas.

As vezes desistimos antes de tentar, a decepção nos toma por completo, a desilusão é maior que nossa força de vontade, e guardamos em silêncio o que está querendo expressar nosso músculo cardíaco.

Então não espere perder tudo para depois se lamentar, como diria a cantora Pitty:

"Não sei mais o que tenho que fazer pra você admitir, que você me adora, que me acha foda, não espere eu ir embora pra perceber".


"E hoje em dia, como é que se diz eu te amo?"

Legião Urbana

"Talvez seja verdade, eu não posso viver sem você, e talvez dois seja melhor que um"
Taylor Swift

"Este coração, bate, bate apenas por você, meu coração é seu"
Paramore

"A razão porque eu te amo é você, sendo você, só você"
Avril Lavigne

"Mulher, eu quase não consigo expressar, minhas emoções confusas em minha negligência ... eu te amo, hoje e para sempre"

John Lennon


"Perder você é como viver em um mundo sem ar"
Jordin Sparks

"Você é a luz da lua de minha vida todas as noites, enviando-te todo o meu amor, os batimentos de meu coração pertencem a você"
Green Day

"Deveria eu me perder do amor, meu fogo e luz? Para perseguir uma pena ao vento"
Led Zeppelin

"O amor não é uma competição, mas eu estou vencendo"
Kaiser Chiefs

"Quando olho em teus olhos posso ver um amor reprimido, mas querida quando eu te abraço, você não pode ver que eu sinto o mesmo?"
Guns n' roses

Tantos músicos, poetas, de diferentes estilos e tribos já disseram, e você? Já disse eu te amo?

 
Copyright Blog da Mila 2009. Powered by Blogger.Designed by Ezwpthemes .
Converted To Blogger Template by Anshul .