RSS

10 de out de 2011

MEU mundo (só meu)

Deixe-me cair, entregar-me a minha loucura particular, meu mundo, meus pensamentos insanos, caem, quicam, batem contra a parede.

Na parede há sangue, não sei sua origem, queriam que houvesse colchões, queriam que minha blusa preta estampando a foto de uma de minhas bandas favoritas fosse substituída por uma camisa de força.

Olá, meu nome é ninguém, sou aquela garota que senta no fundo da sala, só fala quando se dirigirem a ela, aquela, de cabelos vermelhos mal tratados jogados sobre o rosto.


Você diz que sou calada demais, só estou em outro mundo.
Sinto muito que você não consiga entrar nesse mundo, ele eu habito sozinha, e talvez seja assim por um bom tempo.
Nesse mundo alguns já entraram, saíram, visita passageira, viram o que tinha lá dentro e não gostaram.
Mundo de imaginação, mentiras possíveis, lá eu me refugio, talvez lá seria um mundo mais interessante, talvez esse seja interessante demais para ser explorado. Talvez eu não mereça essa aventura.


Deixe-me transbordar, quero me misturar a minha bagunça pessoal, não ser encontrada por dias, pensar, somente pensar, viajar em imaginação, filosofar ao ver o vazio e significativo branco do teto e lembrar de momentos felizes.
Não me importo se nesses momentos monstros vierem me assombrar, com lembranças passadas ruins, erros incorrigíveis.

Não quero acreditar no incorrigível, quero correr sem rumo, mergulhar em mar de melancolia, nadar de braçadas pelas suas mentiras.

Quem disse que sou louca, louco eles que são.
Qual afinal é a razão de seguir a racionalidade, não quero ser nunca racional demais, afinal nunca gostei de exatas.

Faço o caminho mais longo de volta para a casa, converso com os mortos, ouço música alta, sei que sua presença me faz falta, sei que isso me faz mal, quem liga, eu não. Minha obssessão, me sustentará até o fim, cercada por outras pequenas obssessões.

O mundo deu voltas demais, é culpa da gravidade!

Se não fosse por ela poderíamos flutuar com mais facilidade, sem precisar do esforço de usar a imaginação, nos dias de hoje tudo é difícil.

Pensamentos diferentes, refugio, loucura, chame como quiser.

Mas quem sabe tudo isso não é só mais uma ilusão, só mais uma reação química, quem sabe meus pensamentos são só efeito dos remédios, quem sabe eles me controlam tanto a ponto de não me deixarem pensar naturalmente, quem sabe ele controla os outros e eu sou a única que não caiu em suas armadilhas, quem sabe esteja sozinha no mundo, e todo o resto é ilusão criada por minha mente.
Quem sabe eu não seja uma mentira, a imaginação de alguém que não tinha nada melhor para fazer.

Quem sabe toda minha imaginação não é imaginação, e aonde vivemos é o outro lugar, o outro lado do espelho, quem sabe meus sonhos não sejam a realidade, e aqui é só um sonho, ou as vezes um pesadelo assombroso.

Quem pode provar que tudo isso é real, ninguém, eu sou ninguém.

Gosto de sentar e olhar quem passa, pessoas, pássaros, cachorros de rua, crianças, adultos, idosos, jovens casais.

Me coloco no lugar de cada um, imagino como seria estar no lugar deles, no corpo deles, na mentalidade deles, em seu mundo particular.
Quem sabe nesse momento não esteja de passagem por o mundo particular de tal pessoa, tenho certeza que ela está de passagem pelo o meu.

Não deixará pegadas, nem eu no dela, afinal tento ao máximo ser uma visita bem educada.

O que importa é que naquele momento tal ser, tão insignificante perto da grandeza de tudo, esse mundo que não passa de um lado do espelho, o outro lado do espelho, o mundo particular de cada um, o mundo em comunhão dessas pessoas com quem elas amam, outras galáxias ainda não exploradas por minha pequena mente. Tal pequeno ser passa a ser o centro de tudo isso.

O que ela está fazendo aqui, qual é o seu objetivo com tudo isso, por que o destino me fez encontrar com essa pessoa logo agora, será que tudo não passa de peças de um grande quebra cabeça, não sei, só quero imaginar, não quero provar do gosto de saber que estou certa, não preciso de provar nada para ninguém, pois assim que se passa por meu mundo, só meu de mais ninguém, se torna real.


1 comentários:

Anônimo disse...

Frist Comment!!
uuuuuuuuhhhhuuuuuuuuuul
ahá frist comment seu nada deeh, i win
pelo texto mila, bem poetico, profundo falando sobre seu mundo maluco, sei como é, como disse uma escritora "há segredos que escondo de mim mesmo", mais adoro vc e esse seu jeito, esse seu mundo arrazou
xaus er boa sortiii
by:adivinha

Postar um comentário

 
Copyright Blog da Mila 2009. Powered by Blogger.Designed by Ezwpthemes .
Converted To Blogger Template by Anshul .