RSS

19 de jun de 2011

Novela: 8º capítulo

Aonde Gwen havia se metido dessa vez. De um lado sua mais nova e complexada chorando, e do outro sua mais nova tia olhando-a com um olhar enfurecido.
Por uma fresta da porta ela conseguia enxergar o rosto como sempre confuso de Gui.

Então a mulher pergunta:

- Então garota quem é você

Gwen não sabia o que dizer, diria seu nome, diria que era sua sobrinha mas ainda nem tinha certeza disso, agora ela não tinha certeza de mais nada.

Como uma espécie de salvação Domênico apareceu na porta e disse:

- Essa é sua sobrinha Léia, filha do Roberto.


Nesse mesmo instante Léia que antes estava com uma expressão rude esboçada no rosto, logo mudou sua expressão. Agora seu rosto esboçava raiva, mas não da garota.

- Ora ora olha só quem é, da última vez que te vi você ainda usava fraldas.


Gwen não sabia o que dizer, nunca imaginou antes o dia que iria encontrar sua tia.

Então mais uma vez Domênico salvou a pátria:

-Léia, seu irmão está nos esperando na sala para conversarmos sobre aquele assunto. Gwen você me espera ai com sua .


No mesmo momento em que Domênico fechou a porta que dava para a sala Gwen vira para Guilherme com uma expressão que ele já conhecia e imediatamente os dois aproveitaram a distração de Hortência para correr até a porta e espiar por uma fresta.

Em um canto meio afastado da sala estava um homem de cabelos negros ralos quase careca, seu rosto como o de todos naquela sala também não expressava alegria ou qualquer sentimento feliz, assim como Léia tinha a aparência de quem não dormia a dias. Logo Gwen deduziu que aquele devia ser seu tio.
Domênico puxa uma cadeira e senta de frente para seus dois filhos e diz:

- Vocês sabem bem que eu nunca fui um pai de ficar fazendo reuniõesinhas familiares, mas hoje eu chamei vocês aqui pra falar de dois assuntos sérios, que nós viemos protelando a um bom tempo.

O homem ao canto da sala, que se chamava Vítor, então se manifestou:

- Ah lá vem você com esses seus papinhos, eu tenho coisa melhor pra fazer do que ficar ouvindo um velho gaga delirando.

Assim o homem sai da casa batendo os pés.

- Está bebado pra variar, esse ai não faz mais nada a não ser beber, nem sei pra que você chamou ele, você sabe muito bem que ele nem quer saber da mamãe, ele é tão covarde que não aguenta nem olhar para o rosto de sua própria mãe - disse Léia.

- Mas eu não chamei vocês aqui só para falar de sua mãe, o assunto de sua mãe é muito complicado, o fato é que eu estou muito velho para cuidar dela sozinho, não consigo nem cuidar de mim direito, ou vocês passam a me ajudar ou irei ter que recorrer a última de minhas opções, vou ter que mandar tua mãe para uma clínica para idosos, um asilo.

- Mas pai, você sabe que eu faço de tudo para ajudar vocês, eu não tenho ninguém para me ajudar desde que meu marido morreu eu vivo de sua pensão, que já é curta demais para sustentar a mim mais a três filhos, todo o meu dinheiro que sobra é para comprar remédios para a mamãe.

- Eu sei disso minha filha, mas não preciso só de ajuda financeira, está ficando difícil de carregar sua mãe, de dar banho nela, levá-la ao banheiro e o mais difícil de tudo é lidar com essa choração, ela não pode ouvir nada, ver nada que começa a chorar.

- Pai, eu não posso fazer mais nada além do que eu já faço, acho também que nossa saída será juntar algumas economias e pagar uma clínica para ela mesmo.

Domênico acente tristemente com a cabeça.

Enquanto isso por de trás de uma porta Gwen e Guilherme se encaram e voltam a ouvir a conversa.

Depois de um tempo de silêncio Domênico diz:
- Mas esse não foi o maior motivo por eu ter te chamado aqui.
- Então qual foi.
- Hoje de manhã estava indo até a padaria e resolvi abrir a caixa de correio que não abria a muito tempo já que não recebo muita correspondência. Lá no fundo achei esse pedaço de papel amassado no meio de milhares de panfletos de lojas.

Então com a mão um pouco trêmula ele entrega o papel a Léia que o abre com cuidado para não rasgar o frágil papel:


Pai, sei que o senhor deve ter raiva de mim por tudo que eu já fiz, sei que o senhor já chegou a pensar várias vezes que eu estava morto, mas agora lhe suplico por ajuda, me meti em coisas que nunca devia ter entrado a anos atrás e agora estou sofrendo as consequências. Por favor não deixe que Max faça algum mal a minha filha nem a sua mãe, sei que ele irá procurá-las para me atingir de alguma forma.

Diga a Denise que eu não queria que as coisas terminassem daquela forma, eu a amava mas não estava pronto para essa vida de pai, nunca consegui pensar no bem de alguém que não fosse a mim mesmo.

Preciso que o senhor deixe na porta da casa de Max o bilhete anexo até o dia 27 de abril, por favor peço que não o leia.
Roberto


Léia termina de ler a carta e enquanto uma lágrima reluta para sair de seus olhos ela olha para seu pai e juntando todas suas forças pergunta:

- Isso já está na caixa de correio a 3 meses, você não olhou nesse tempo todo
- É, eu realmente não tinha o costume de conferir o correio
- E você já leu o bilhete
- Ainda não estava esperando você para lermos juntos.

Então eles abrem o pequeno envelope aonde tinha um papel menor do que o esperado, e nesse pedacinho de papel havia um endereço:

Rua Esmeralda, bairro das flores nº 239

Guilherme ainda em silêncio olha para Gwen e enquanto uma lágrima escorre de seu rosto ele a abraça e ela sussurra:

-Vou precisar mais ainda da sua ajuda agora.


Do outro lado da porta Domênico olha para Léia em busca de uma resposta:
- Você sabe aonde é isso

- Não
- Eu só sei que agora tenho a tarefa de cuidar dessa garota, se Max fizer alguma coisa a ela eu serei o culpado por não ter entregado esse bilhete a tempo.


Então Gwen desastrada como sempre tropeça em Guilherme ao se levantar. Em um susto eles aparecem do outro lado da porta.

Pronto, agora seu mais novo avô já sabia que ela era uma bisbilhoteira sem educação - pensou Gwen
Mas pelo contrário do que ela esperava Domênico não estava surpreso, pelo contrário parecia já saber de tudo.

E ele disse:

- Já sabia que você estava ai, não tem problema, já ia te contar tudo mesmo.

E depois de mais um momento de silêncio constrangedor Gwen diz:

- Eu vou ajudar o senhor com minha , tudo que estiver ao meu alcance eu irei fazer, mas eu preciso que o senhor me ajude a desvendar esse mistério do meu pai, eu preciso saber o que aconteceu com ele, e o que Max vem querendo.
Domênico pensou um pouco e disse:
- Feito.

---------------------------

Bom pessoal por hoje é só, continuem ligados na nossa amada novela e comentem.

Bjs,

Mila

3 comentários:

Deeh disse...

Vamos aproveitar esse momento único...First Comment !!!
Brincadeiras a parte, a Gwen ta arrasando!
To me rachando de curiosidade sobre esse mistério, e não consigo pensar em nada!!!
Acho que o "outro" par romantico da nossa dear pesonagem poderia ter um papel decisivo --mistérios--
Aiii...posta logo a nove!

Anônimo disse...

hey isso é plagio!!!
sério essa fala é minha...
tudo cada vez mais misterioso e esquisito...acho que nem cherlock homes desvendava essa^^, altas emoções rolando e eu to adorando essa novela, e eu prometo uma coisa, da proxima o frist coment vai ser meu!!!
bjos seu fã anonimo não tão anoimo mais ainda sim anônimo(eu definitivamente tenho que parar d escrever isso)

Deeh disse...

A grande disputa do primeiro comentário. Hahaha
euri
Desculpa pelo "plágio" então né. O que vale é a intenção. Vamos respeitar o criador dessa expressão maravilhosa *palmas pra ele* 'hahahaha
Mas de boa, o que importa é que o blog tá até disputado agora/ mila famosa, balança o cabelo e arrasa!
Deus, eu vou vim aqui o tempo todo reler esse capítulo, pra tentar achar uma pista sobre o rumo da novela.
É, concordo que o Sherlock daria um bom ajudante nesse momento (todos os direitos reservados a "anonimo não tão anonimo" e seilá mais o que - poderia dar uma resumidinha e falar seu nome direto, mas deixa pra lá
Novamente, te imploro para lançar logo o nono capitulo ~respira, Déborah, RESPIRA ~~
E caso o cara aí de cima leia essa declaração, saiba que eu rio pacas com seus comentários, e não foi minha intenção estragar a originalidade dos mesmos = caso tenha um agente do FBI me investigando, é uma boa ideia dizer isso (mas a parte das risadas é verdadeira)
Bjs novamente

Postar um comentário

 
Copyright Blog da Mila 2009. Powered by Blogger.Designed by Ezwpthemes .
Converted To Blogger Template by Anshul .